PARA MÉDICOS PARA PACIENTES
Central de Atendimento: 71 4020.2322 RESULTADOS ORÇAMENTOS COVID 19

Publicado em: 25 de agosto de 2017

Tabagismo é a principal causa de morte evitável do mundo

O tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo, estando associado a 25% das mortes por doença do coração e 25% dos óbitos por derrame cerebral, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Apesar dos indicadores, a OMS estima que um terço da população mundial adulta, cerca de dois bilhões de pessoas, sejam fumantes. No Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto, o pneumologista Marcel Albuquerque fala sobre a metodologia mais eficaz para tratar a dependência de forma definitiva.

 

“O Programa de Cessação do Tabagismo já se encontra no segundo ano com excelentes resultados. Entre os pacientes, obtivemos um total de 83% de cessação completa ao tabagismo, sendo a taxa de sucesso no sexo feminino de 100%. Em média, a cessação ocorreu após 6,2 sessões (ou 46 dias) após o início do acompanhamento médico e psicológico”, conta Marcel Albuquerque que coordena o programa no Hospital Cárdio Pulmonar.  O especialista conta que desde 2015 houve apenas cinco desistências (abandono com menos de um mês), sendo que o principal motivo foi incompatibilidade de horário.

 

Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina mundial e 12% da feminina fumam. O pneumologista Marcel Albuquerque ressalta que a abordagem multidisciplinar é o método mais eficiente para os pacientes abandonarem o cigarro definitivamente. Deste modo, o programa do Cárdio Pulmonar foi montado com um pneumologista e uma psicóloga e de acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde que, através do Instituto Nacional do Câncer (Inca), desenvolve as ações que compõem o Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT).

 

“O cigarro causa tanto a dependência química quanto a psicológica. Por isso, nenhum tratamento isolado é eficaz. Pacientes que optam por fazer a reposição de nicotina por conta própria, muitas vezes, não conseguem o resultado esperado a longo prazo, pois a dependência maior pode ser psicológica, por exemplo”, explica o coordenador do Programa de Cessação. “Identificamos como um dos principais diferenciais do nosso método a individualização das condutas, com sessões pessoais e com frequência elevada, principalmente nos dois primeiros meses”, completou.

 

O programa visa a aumentar as chances de o paciente conseguir parar de fumar definitivamente, através de consultas médicas com prescrição dos medicamentos apropriados e sessões de terapia, individual e em grupo, com psicóloga.

MAIS NOTÍCIAS