PARA MÉDICOS PARA PACIENTES
Central de Atendimento: 71 4020.2322 WHATSAPP RESULTADOS DE EXAMES COVID 19

Publicado em: 21 de março de 2020

Hospital Cárdio Pulmonar lança hotsite sobre coronavírus e ajuda a combater fake news

Ferramenta traz amplas e seguras informações sobre a Covid-19 e sobre procedimentos adotados para garantir o melhor e mais correto atendimento a todos os pacientes, independentemente da patologia

O combate às fake news sobre a pandemia do novo Coronavírus nas redes sociais, sobretudo em grupos de WhatsApp, está entre os objetivos do hotsite lançado hoje (21) pelo Hospital Cárdio Pulmonar na página: www.cardiopulmonar.com.br/covid19/.

Com atualização e revisão diárias, a ferramenta facilita o acesso de clientes, profissionais de saúde e da imprensa a informações seguras e verdadeiras fornecidas por especialistas e de forma transparente. São notas sobre a doença, sintomas, uso de medicamentos, isolamento e novas rotinas do hospital, bem como dados atualizados sobre os atendimentos prestados no Hospital Cárdio Pulmonar.

Como destaca a diretora superintendente Iolanda Peltier, “assim como é preciso barrar a proliferação do vírus, é necessário uma maior conscientização sobre o quanto as fake news atrapalham a rotina dos profissionais da área da saúde, exigindo maior esforço deles, num momento em que precisam estar prontos para cuidar das pessoas com toda a dedicação e foco que o momento exige”.

No hotsite estão descritas as alterações de rotina e de fluxo de atendimento do hospital, necessárias no cenário da pandemia, para que todos os pacientes, independentemente da sua necessidade, receba atendimento seguro e adequado ao caso.

Condutas

Além de amplo material informativo sobre a Covid-19, o hotsite também trata do funcionamento das unidades durante o período de pandemia, além dos cuidados especiais destinados aos integrantes do hospital e do centro médico.

“Estamos facilitando o acesso da comunidade a uma comunicação séria, atualizada e transparente. Faça sua parte, não compartilhe informação não checada. Ela pode ser tão nociva quanto a doença”, completa Iolanda Peltier.

MAIS NOTÍCIAS