PARA MÉDICOS PARA PACIENTES
Central de Atendimento: 71 4020.2322 RESULTADOS ORÇAMENTOS COVID 19

Publicado em: 28 de dezembro de 2015

Doenças ginecológicas têm causas diversas e a prevenção é o melhor aliado das mulheres

Os males causados por infecções virais (HPV), fúngicas (Cândidas) ou bacterianas podem ter consequências severas como inflamações, abscessos, infertilidade e até neoplasias se não forem adequadamente diagnosticados e tratados precocemente.

Existem ainda os distúrbios ginecológicos de causa hormonal, como transtornos do ciclo menstrual, sangramentos disfuncionais, anovulação crônica – conhecida popularmente como ovários policísticos – com um grande potencial de alterar o bem estar cotidiano das pacientes acometidas; bem como as doenças por alterações anatômicas ou morfofuncionais, como os miomas, pólipos uterinos ou cervicais, cistos, e tumores benignos ou malignos pondo em risco a saúde e a vida das mulheres.

Câncer do Colo do Útero

Nas visitas anuais ao ginecologista as mulheres devem realizar o estudo colpocitológico, mais conhecido como Papanicolau ou “preventivo”. Outros exames podem ser necessários conforme a queixa ou histórico da paciente.

Como rotina preventiva para câncer de colo uterino recomenda-se, inicialmente, consultas anuais, mas este intervalo deve ser reavaliado pelo médico conforme a necessidade da paciente.

Além da prevenção, as consultas incluem o acompanhamento da saúde em geral, questões sobre sexualidade, planejamento familiar e ciclos hormonais.

Promoção à saúde, prevenção e Identificação precoce

De acordo com o coordenador do Serviço de Ginecologia do Hospital Cárdio Pulmonar, ginecologista Deraldo Falcão, a melhor prevenção para a mulher é informação e acompanhamento ginecológico regular. “Algumas patologias são inicialmente subclínicas, ou seja, não apresentam quaisquer sintomas, mas, em muitos casos, podem ser detectadas precocemente por profissional habilitado e tratadas ainda antes de causarem maiores danos”, alerta.

Para evitar a maioria das doenças, além das visitas regulares ao seu ginecologista, o especialista orienta as pacientes a manterem as vacinas em dia e hábitos de vida saudáveis, evitando, por exemplo, o uso de protetores diários e uso indiscriminado de cremes vaginais.

Para o diagnóstico e tratamento de doenças do aparelho reprodutor feminino, a equipe do Hospital Cárdio Pulmonar possui um perfil diferenciado, que associa o cuidado ao conhecimento científico atualizado; e a habilidade clínica e ética, a procedimentos diagnósticos e cirúrgicos minimamente invasivos como as histeroscopias, videolaparoscopia ginecológica benigna e oncológica.

MAIS NOTÍCIAS