PARA MÉDICOS PARA PACIENTES
Central de Atendimento: 71 4020.2322 RESULTADOS ORÇAMENTOS COVID 19

Publicado em: 28 de setembro de 2015

Cardiologista destaca necessidade de controle dos fatores de risco para evitar o infarto

As doenças cardiovasculares, incluindo o infarto do miocárdio e o Acidente Vascular Cerebral (AVC), são as principais causas de morte no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Dia Mundial do Coração, 29 de setembro, o coordenador da Medicina Cardiovascular e gestor de Prática Médica do Hospital Cárdio Pulmonar, o cardiologista Eduardo Darzé, alerta para a importância do controle dos fatores de riscos da doença.
Os principais fatores de risco do infarto e que devem ser combatidos pelos pacientes são colesterol alto, hipertensão, diabetes, fumo, obesidade e o sedentarismo. “Estudos mostram que 90% das pessoas que sofrem um infarto apresentavam um ou mais destes fatores”, alerta dr. Darzé. “As pessoas confundem prevenção com fazer exames. Prevenir infarto significa tratar os fatores de risco. Não adianta somente realizar exames e manter hábitos irregulares ou o colesterol e a pressão mal controlados”, destacou o cardiologista. De acordo com o especialista, o controle dos fatores de risco deve começar ainda na infância, já que estão relacionados com um estilo de vida saudável.
Tratamento
O infarto ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração são obstruídas abruptamente por um coágulo. O cardiologista Eduardo Darzé reforça que o atendimento precoce é fundamental para a recuperação do paciente e consiste na abertura da artéria obstruída o mais rápido possível por meio da angioplastia. A mortalidade da doença é de aproximadamente 6% dos casos que chegam aos hospitais. Morte e sequelas, entretanto, podem ser evitadas com o atendimento rápido e eficiente.
“Percebemos que 30% dos pacientes com infarto que chegam ao hospital já não são mais candidatos à angioplastia. A demora no reconhecimento dos sintomas e no direcionamento do paciente acaba inviabilizando a abertura da artéria e esta opção de tratamento”, explicou.
Para otimizar o atendimento pré-hospitalar aos pacientes, o Cárdio Pulmonar implantou em julho deste ano o “Fluxo Integrado CP – Vitalmed”, que busca uma atuação coordenada com a principal empresa de serviço de atendimento pré-hospitalar a emergências e urgências médicas.
“Esse atendimento imediato é que fará a diferença entre o sair do hospital em menos de uma semana e voltar à vida normal logo em seguida ou nunca mais ter uma vida como antes”, destacou dr. Eduardo Darzé.

MAIS NOTÍCIAS