PARA MÉDICOS PARA PACIENTES
Central de Atendimento: 71 4020.2322 RESULTADOS ORÇAMENTOS COVID 19

Publicado em: 06 de maio de 2019

Cárdio Pulmonar promove IV Simpósio de Medicina Crítica e Emergência

A qualificação dos médicos emergencistas e intensivistas para o atendimento em situações críticas foi o foco do IV Simpósio de Medicina Crítica e Emergência do Hospital Cárdio Pulmonar, realizado nos dias 26 e 27 de abril, no Novotel, no Rio Vermelho. Direcionada a médicos e estudantes de Medicina do 5º e 6º anos, visa garantir a adoção de práticas decisivas no cuidado com o paciente grave.

A quarta edição da atividade promoveu uma atualização do suporte avançado incorporando as mudanças de protocolo a partir de 2015 e o que se espera para as novas diretrizes de 2020. Também foi abordado o manejo de pacientes críticos nas áreas de cardiologia, pneumologia e gastroenterologia, com foco na abordagem na urgência e na emergência.

“O simpósio de emergência e medicina crítica do Cárdio Pulmonar já faz parte do calendário científico na cidade. É um momento especial para debatermos as melhores práticas em emergência e medicina crítica”, disse o coordenador de Pesquisa e Treinamento Médico do Cárdio Pulmonar, o cardiologista Luiz Ritt, um dos organizadores.
Além da atualização em suporte avançado de vida em cardiologia feita pelo diretor científico da Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramede), Hélio Penna Guimarães (SP), o evento trouxe um foco especial no cuidado ao paciente vítima de acidente vascular cerebral (AVC).

AVC

“Envolver uma mesa de neurociências num evento de emergência médicas foi muito importante, pois se tratou especificamente de acidente vascular cerebral (AVC), problema de saúde pública que afeta milhões de pessoas no país, sendo responsável pela maior parte das aposentadorias precoces na população abaixo dos 60 anos e principal causa de mortes, superando doenças cardíacas e câncer”, avaliou o neurointervencionista Alexandre Drayton, coordenador do Serviço de Neurointervenção do HCP.
No simpósio, foram discutidas, de maneira abrangente, as etapas envolvidas no diagnóstico, manejo e tratamento do AVC, desde o atendimento pré-hospitalar, passando pela formação das unidades de AVC (as UTIs neurológicas) até o tratamento endovascular para a fase agudado AVC. “Tivemos o privilégio de ouvir os presidentes das sociedades Brasileira de Doenças Cérebro Vasculares, João José Carvalho, e Brasileira de Neurorradadiologia, Francisco Mont’Alverne”, completou Drayton.

Para o gestor de Unidades Críticas do HCP, o médico intensivista Edson Marques, trata-sede uma capacitação extremamente importante. “Os temas abordados envolveram tópicos importantes do paciente grave em sua permanência no hospital, desde o pronto socorro à UTI. Dessa forma, focamos no preparo da equipe assistencial para melhor desempenho na atenção ao paciente em todo este percurso”, disse.

O coordenador de emergências do município de Salvador e presidente da Regional Bahia da Abramede, Ivan Paiva, também participou da capacitação e apresentou dados do atendimento ao infarto no município.
Totalmente interativo, o treinamento foi baseado na discussão de casos clínicos e na abordagem das mais recentes e atuais evidências, como explicou Luiz Ritt, destacando que em todos módulos houve interatividade com a plateia via aplicativo de perguntas e respostas.

MAIS NOTÍCIAS