PARA PACIENTES

PARA MÉDICOS

Publicado em: 19 de junho de 2017

Cárdio Pulmonar faz campanha de Combate à Infecção Hospitalar

Reforçar a importância da higienização das mãos no ambiente hospitalar de forma descontraída. Com esse intuito, a equipe do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Cárdio Pulmonar (HCP) lançou, nesta sexta-feira (16), um clipe com a paródia do funk do Mc Kevinho, “Olha a Explosão”. Na versão do HCP, integrantes dos setores de assistência e administrativo reforçam o uso do álcool gel e os cinco momentos considerados determinantes para um atendimento seguro.

O vídeo traz os integrantes cantando, dançando e alguns vestidos de bactérias que são combatidas com muitos frascos de álcool gel. O refrão da música passou a ser “Hi-gie-ni-za-ção/ Sempre que vir a sujeira na mão/ Ou mesmo quando não enxergar não/ É proteção contra infecção/ São cinco os momentos de prevenção”.

“Escolhemos a paródia pela questão da ludicidade. A música Aborda todos os aspectos da higiene das mãos e demonstra como todos devem estar engajados neste pequeno gesto, inclusive pacientes e acompanhantes”, destacou o infectologista Alan Neiva, coordenador do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do HCP.

Apesar de ser o método de maior impacto e eficiência na prevenção da infecção hospitalar, a taxa de adesão à higienização das mãos é de cerca de 50% em todo o mundo.

A ação reforça os protocolos implantados pelo Cárdio Pulmonar com vistas à garantia da assistência segura e com qualidade. “A higienização das mãos é considerada uma prioridade institucional, envolvendo todos, incluindo setores administrativos, assistenciais e de apoio”, diz Alan Neiva.

Para garantir a estratégia, dispensadores com soluções alcoólicas são disponibilizados em todos os pontos de assistência do Cárdio Pulmonar. O uso do álcool tem sido priorizado no ambiente hospitalar em relação à lavagem com água com sabão, pois é mais rápido, mais acessível, mais eficaz e causa menos dano à pele.

Momentos de higienização

Segundo o especialista, no ambiente hospitalar, a higienização das mãos deve ocorrer em cinco momentos considerados determinantes na assistência segura: “Antes do contato com o paciente; antes de realização de procedimentos assépticos; após risco de exposição a fluidos potencialmente contaminados; após contato com o paciente; e após contato com áreas próximas ao paciente”, enumera.

MAIS NOTÍCIAS