PARA MÉDICOS PARA PACIENTES
Central de Contatos: 71 3203.2200 Consultas e Exames: 71 3203.2222 WHATSAPP RESULTADOS DE EXAMES

Histerossalpingografia << voltar

O QUE É A HISTEROSSALPINGOGRAFIA?

A Histerossalpingografia é um método diagnóstico de extrema importância na avaliação do casal infértil, uma vez que nos proporciona uma precisa demonstração do canal endocervical, cavidade uterina e tubas uterinas.

As principiais causas que podem contribuir para a infertilidade feminina (má-formações urogenitais, obstruções tubárias, aderências envolvendo os anexos, sinéquias e tumorações intrauterinas), são prontamente diagnosticadas durante a realização do exame.

 

INDICAÇÕES

A infertilidade é responsável por 98% das indicações deste exame, que permite analisar:

  • A permeabilidade tubária, identificando os pontos de obstrução, hidrossalpinge ou aderências peritubárias;
  • Sinéquias (aderências) intrauterinas, permitindo uma visão de conjunto, o que não ocorre com outros métodos;
  • Incompetência ístimo-cervical (fraqueza do colo do útero +/- que pode dilatar-se antes do final da gestação);
  • Má-formações uterinas;
  • Adenomiose;
  • Tuberculose genital;
  • Miomas;
  • No controle pós-operatório das reanastomoses tubárias, correção de má-formações uterinas etc.

 

CONTRA-INDICAÇÕES

1) Gravidez ou suspeita de gravidez;

2) Infecção genital ativa;

3) Durante a menstruação ou sangramento genital de causa desconhecida;

4) Após curetagem uterina recente;

5) Nas usuárias de DIU, com suspeita de endometrite;

6) Após cirurgias do útero (miomectomias, correções de má-formações uterinas e aderências intrauterinas), antes de decorridos 90 dias.

 

COMO É FEITO

A paciente se posiciona como se fosse realizar o exame preventivo ginecológico;
Introduz-se a substância contrastante através do orifício externo do colo do útero na cavidade endometrial e, posteriormente, nas trompas e cavidade peritonial.

Clique no link abaixo e assista a um vídeo bastante ilustrativo:
https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=S5kcFyoexgU

No Hospital Cárdio Pulmonar, o exame é realizado na Unidade de Hemodinâmica, sob protocolo médico rigoroso e após orientações específicas quanto ao desenrolar do exame. As pacientes serão orientadas quanto ao uso de medicações para cólica, antes do exame. Por se tratar de procedimento rápido, bem tolerado e minimamente invasivo, não há necessidade de acompanhamento anestésico. A paciente, após breve período de observação no próprio setor, é liberada para casa com orientações clínicas e de repouso.

 

DESCONFORTO

A manipulação da região genital leva por si só a um grau de desconforto, semelhante ao vivenciado durante o exame preventivo ginecológico.

A introdução do contraste determina contrações (cólicas) muito parecidas às vivenciadas por algumas pacientes durante o período menstrual e/ou trabalho de parto. Tais cólicas são muito bem toleradas pela grande maioria das pacientes; em alguns casos, compressas de gelo na região pélvica ajudam no controle das dores.

 

RESULTADOS

Permite estabelecer qual grupo de pacientes pode se beneficiar da fertilização in vivo, bem como dizer quais serão aquelas que necessitarão da fertilização in vitro (FIV).

 

MÉDICA RESPONSÁVEL PELO EXAME

Dra. ROSA BRIM – CRM 9384
Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Professora Adjunta da Universidade Federal da Bahia – UFBA
Professora da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Professora da UNIFACS